Data da Publicação: 15/07/2020 10:00:00

Uso de ferramentas digitais são as maiores dificuldades para EAD durante a pandemia, aponta estudo da Escola do Legislativo

Relatório contou com dados de 99 professores e 599 estudantes da rede municipal

Um relatório realizado pela Escola do Legislativo de Ouro Fino, unidade vinculada à Câmara Municipal, apontou as principais dificuldades que estudantes e professores da rede municipal têm para continuar as atividades educacionais durante a pandemia. O estudo mostra que o maior problema se dá no manejo de ferramentas de produção, edição e demais aplicativos multimídias. Tanto os estudantes quanto os professores gostariam de curso de capacitação na área de informática para melhorarem o desempenho durante esse período

 

Foram entrevistados 99 professores de seis escolas municipais, sendo cinco públicas e uma particular. Já os estudantes que participaram da pesquisa totalizaram 599 de sete colégios de Ouro Fino, sendo 6 públicos e um particular. O formulário com as perguntas foi repassado online e os participantes tiveram um mês para respondê-lo.

 

O objetivo da Escola do Legislativo era fazer um reconhecimento da situação educacional no município. “Converso com professores e estudantes diariamente e senti que havia muitas dificuldades para se adaptar a nova realidade. Realizamos essa pesquisa para sairmos do achismo e termos dados mais concretos. Assim, nós podemos pensar em ações para sanar as dificuldades”, comentou o diretor da Escola do Legislativo, Tiago Bazolli.

 

Outro problema apontado no estudo é relacionado com o acesso à internet. Apesar de quase 100% dos entrevistados terem recursos tecnológicos para acompanhar as aulas à distância, parte considerável dos estudantes não conseguem fazê-la por não terem acesso a web. O uso de dados móveis pelos alunos é insuficiente para o acompanhamento mínimo das aulas.

 

Esse é um grande problema para os estudantes mais pobres ou que vivem em áreas rurais. Sugerimos a criação de pontos de acesso que podem ser feitas em associações de bairros que já têm computadores. Claro que temos que manter uma distância mínima entre os computadores para não termos segurança”, contou.

 

Além dos pontos de acesso, o estudo também trouxe outras ideias para ajudar estudantes e professores durante a pandemia. “Propusemos algumas ações para as escolas e também para o Poder Executivo. Como Escola do Legislativo, nós queremos ajudar. O mais importante é a capacitação, mas não podemos esquecer que muito jovens estão fragilizados nessa pandemia e que o apoio psicológico seria muito importante”, frisou.